O Fisco encaixa 7,3 milhões de euros em impostos relacionados com os automóveis. Entre janeiro e julho, o setor automóvel rendeu 1.500 milhões de euros, avança o «Correio da Manhã».

O grande encaixe para os cofres públicos resulta do Imposto Sobre Produtos Petrolíferos (ISP), que rendeu quase 1.192 milhões de euros. Segue-se o Imposto Sobre Veículos, com uma receita superior a 200 milhões e o Imposto Único de Circulação (IUC), que disparou para os 143,2 milhões.

Apesar da dimensão dos números, as coisas já correram melhor, não só ao Fisco, como ao setor automóvel. Face a 2010, a receita caiu 22% e a culpa é da crise.