A Secretaria do Ambiente e Recursos Naturais da Madeira e o Millennium BCP assinaram esta terça-feira um acordo de cooperação para promover o empreendedorismo e apoiar a criação de microempresas e autoemprego.

Na assinatura do protocolo, no Funchal, o diretor regional da Madeira do BCP, Ivo Correia, explicou que se trata de um «incentivo aos empreendedores» em áreas como a agricultura, o ambiente e as pescas.

«Procuramos apoiar pessoas de qualquer idade, que tenham ideias e queiram implementá-las, que não tenham normalmente possibilidade de recurso à banca tradicional, com garantias», adiantou Ivo Correia, referindo que o banco está a apoiar na Região Autónoma da Madeira no âmbito do microcrédito cerca de 300 projetos que originaram a criação de 480 postos de trabalho.

Para o responsável, trata-se de um «contributo» para as pessoas que «estão à procura de novos rumos e novas oportunidades».

Já o secretário regional do Ambiente e Recursos Naturais, Manuel António Correia, considerou que o acordo «promove a autorrealização pessoal, económica e social», num momento em que todos precisam de encontrar soluções.

«Isto é, sem dúvida, uma boa solução, porque não cria dificuldades àqueles que, por nascimento ou qualquer circunstância, não tenham património», disse Manuel António Correia.

O governante sustentou que esta é também «uma mensagem de esperança a todos aqueles que enfrentam as dificuldades e de que, no caso de terem boas ideias, haverá sempre uma maneira de começar um caminho».

Manuel António Correia notou que este microcrédito se conjuga com «outras ajudas preexistentes que, muitas vezes, para poderem funcionar, precisam de um aditivo [...], a parte que os promotores precisam de ter ¿ e às vezes é difícil ter ¿ para aproveitar as vantagens de outros programas que já estão em execução».

A este propósito, exemplificou com o PRODERAM ¿ Programa de Desenvolvimento Rural para a Região Autónoma da Madeira, que «tem sempre uma componente própria que nem sempre é fácil de conseguir».

No acordo, as duas entidades obrigam-se a identificar e apoiar a capacidade de iniciativa e a vocação empreendedora, com vista à criação de microempresas ou autoemprego com enfoque também na água, saneamento básico, florestas, parque natural, agropecuária, vinho e artesanato.

A sensibilização para o empreendedorismo, ações de formação junto de potenciais promotores, apoio técnico à formalização das candidaturas ao financiamento e acompanhamento das iniciativas com ideias de negócios viáveis são as ações previstas.

O montante máximo de crédito a conceder pelo Millennium BCP por empreendedor é de 25 mil euros, sendo o reembolso em prestações mensais até 60 meses, dependendo do valor disponibilizado.