A taxa de desemprego desceu para 27,1% no segundo trimestre de 2013 quando comparada com a taxa de 27,4% no primeiro trimestre, anunciou esta quinta-feira o instituto de estatística grego.

No entanto, o desemprego na Grécia bateu em junho um novo recorde, afetando 27,9% da população ativa, mais 0,3% do que em maio, segundo dados revelados na semana passada pelo gabinete de estatísticas grego.

O número de pessoas empregadas aumentou 1,0% em relação ao trimestre anterior, enquanto o número de desempregados diminuiu 0,4%, sublinhou o órgão oficial grego.

O número de desempregados diminui habitualmente no segundo trimestre devido a fatores sazonais.

Mas comparando com o segundo trimestre de 2012, quando a taxa de desemprego era 23,6%, o número de empregados diminuiu 4,2% e o de desempregados aumentou 15,5%.

No total, mais de 1,3 milhões de gregos estavam registados oficialmente como desempregados no segundo trimestre de 2013, enquanto mais de 3,6 milhões tinham emprego.

Os dados demonstram que as mulheres estão a ser mais atingidas pelo desemprego, já que 31,1% estavam desempregadas enquanto a taxa dos homens era de 24,1%.

A nível etário, o grupo dos jovens com idades entre os 15 e os 24 era o mais atingido, com uma taxa de desemprego de 59,0%.

Fortemente atingida pela crise económica, a Grécia enfrenta o sexto ano de recessão.