Os trabalhadores dos CTT vão receber este mês os salários com aumentos entre 1,1% e 1,3%, num mínimo de 12 euros, no âmbito de um acordo estabelecido esta quarta-feira entre os seus representantes e a empresa.

O acordo de princípio foi subscrito por quase todos os sindicatos com associados nos CTT, filiados na CGTP, na UGT e independentes.

Segundo um comunicado do Sindicato Democrático dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações (SINDETELCO), filiado na UGT, os aumentos salariais são retroativos a janeiro e vão ser aplicados aos trabalhadores dos Correios de Portugal e das restantes empresas do grupo.

Para Fernando Ambrioso, dirigente do Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações (SNTCT), filiado na CGTP, "este foi o acordo possível" em termos salariais.

Mais carteiros

O sindicalista disse à agência Lusa que uma das vantagens do acordo de princípio é o reforço do número de carteiros e de trabalhadores das lojas CTT.

Ficou acordado que vão ser admitidos 50 carteiros e 50 trabalhadores para os atendimentos nos balcões CTT até ao final de 2018.

No primeiro semestre de 2019 serão admitidos mais 25 carteiros.

Em comunicado, os CTT afirmam estar "muitos satisfeitos com a chegada a acordo com as 11 associações sindicais representativas dos trabalhadores dos CTT, após um curto processo negocial, o que só foi possível devido ao Diálogo Social entre as partes".