O Sindicato dos Trabalhadores dos Transportes (SITRA) defendeu, esta segunda-feira, um aumento de 3% nos salários dos trabalhadores da Transportes Sul do Tejo (TST) para 2016, referindo que os funcionários têm perdido poder de compra nos últimos anos.

"Fizemos uma retrospetiva dos últimos cinco anos, argumentando com a objetividade dos números para comprovar à empresa a significativa perda de poder de compra sofrida pelos trabalhadores da TST. Justificámos que os 3% reivindicados pelo SITRA para acréscimo salarial em 2016 é um valor perfeitamente coerente", refere o sindicato em comunicado enviado à Lusa.

O SITRA e os TST iniciaram as negociações diretas para rever o Acordo de Empresa para o ano de 2016, com o sindicato a explicar, no documento, que ouviram da empresa a reposta da perda de passageiros e redução dos alugueres.

"Segundo a empresa houve uma diminuição de 31,6% dos passageiros nos últimos cinco anos. Relembramos à TST que a uma redução da oferta corresponde sempre uma redução da procura e que determinadas opções não foram as mais vantajosas em termos de promoção do transporte público", salienta.

O SITRA espera que na próxima reunião entre as partes, os TST apresentem uma proposta para o acréscimo salarial, que consideram uma "matéria prioritária".