A Grécia vive hoje uma nova greve do setor público contra as reformas do Governo que deixou paralisado o tráfego aéreo, enquanto continuam em Atenas negociações com os credores sobre novos cortes em troca da próxima tranche de dinheiro.

A principal diferença relativamente a greves anteriores é que não é uma paralisação total, dado que apenas foi convocada pelo sindicato do setor público Adedy, não se tendo juntado o do setor privado GSEE.

Por outro lado, participam pela primeira vez em anos os controladores aéreos, o que deixou praticamente paralisado o tráfego aéreo, mantendo-se apenas sete voos internacionais programados para hoje.