O parlamento grego alterou esta sexta-feira uma lei aprovada há três semanas que permitia a cidadãos e empresas pagar dívidas ao fisco e à Segurança Social num máximo de cem prestações, segundo a Lusa.

A medida poderá facilitar o regresso da troika a Atenas.

A favor da emenda votaram 147 deputados, 112 votaram contra e registaram-se ainda duas abstenções.

O projeto inicial permitia o pagamento de dívidas ao fisco e à Segurança Social inferiores a um milhão de euros entre 72 e 100 prestações mensais, uma modalidade que a troika (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional) considerava demasiado generosa.

Segundo os cálculos da troika, a aplicação dessa lei teria aumentado o défice orçamental em 2015 em mil milhões de euros, passando para 2,6 mil milhões de euros.

A alteração aprovada hoje reduz as dívidas que podem recorrer a este sistema de pagamento.

Segundo a imprensa local, o ministro das Finanças grego, Gikas Hardouvelis, enviou na quinta-feira uma carta aos representantes da troika, aparentemente uma mensagem apaziguadora tendo em vista o seu regresso ao país na próxima semana para retomar a quinta avaliação ao programa de ajustamento.