Os ministros das Finanças da zona euro voltam esta segunda-feira a reunir-se, em Bruxelas, às 16:00 (15:00 de Lisboa) para debater o financiamento-ponte à Grécia e a eleição do novo presidente para o Eurogrupo.

O financiamento-ponte a debater hoje pelo Eurogrupo é um empréstimo intermédio que servirá para evitar que a Grécia falhe os próximos pagamentos, caso dos 3.500 milhões de euros que tem de pagar ao Banco Central Europeu a 20 de julho, evitando um novo incumprimento enquanto não é aprovado o terceiro resgate ao país, que implica ainda muitos procedimentos.

O fórum que reúne os ministros das Finanças dos 19 países da moeda única vai também hoje eleger um novo presidente, decisão que transita já de junho e que foi então adiada devido à crise da Grécia.

Na corrida ao cargo estão o atual presidente do Eurogrupo e ministro das Finanças holandês, Jeoren Dijsselbloem, e o titular espanhol da pasta, Luis de Guindos.

Dijsselbloem foi eleito a 21 de janeiro de 2013 para um mandato de 2,5 anos, pertence à família do Partido Socialista Europeu, enquanto Guindos integra a do Partido Popular Europeu (PPE), o que pode ser um obstáculo uma vez que os presidentes do Conselho Europeu e da Comissão Europeia também pertencem a essa família política.

Quando Dijsselbloem sucedeu no cargo a Jean-Claude Jucker reuniu o voto favorável de todos os membros, com exceção precisamente de Luis de Guindos.