A ministra da Agricultura e Mar congratulou-se com o ano de «excelente desempenho» para a agricultura portuguesa que foi 2014, destacando o crescimento de 7,7% nas exportações e uma redução de 2,2% nas importações.

Assunção Cristas, que está a ser ouvida na comissão parlamentar de Agricultura e Mar, estimou que o défice da balança agroalimentar tenha «diminuído na casa dos 683 milhões de euros» e salientou que o quarto trimestre «é ainda mais animador».

Segundo a ministra da Agricultura, entre outubro e dezembro de 2014, as exportações do setor agroalimentar cresceram 10,1% (acima dos 4,6% do conjunto da economia), enquanto as importações diminuíram 1,4%.

Assunção Cristas adiantou ainda que, no final de 2014, a execução do PRODER (Programa de Desenvolvimento Rural) se situava nos 90%, tendo atingido atualmente os 95%.

A ministra quer finalizar a execução do PRODER até ao verão, estando este programa a ser executado em simultâneo com o seu substituto, o PDR 2020, que deve abrir ainda este mês uma medida para jovens agricultores.

Questionada sobre o impacto do embargo russo sobre as exportações agrícolas, Assunção Cristas afirmou que os produtores têm sabido encontrar alternativas e garantiu que o Governo está «a acompanhar de perto» a situação em Angola, que impôs quotas de importação para determinados produtos alimentares.

«O mercado angolano é uma preocupação para nós, mas nem tudo está sujeito às quotas. Há setores que vão continuar a ter importância, nomeadamente a área do vinho», assinalou a governante, admitindo que outros serão penalizados.

«O Ministério da Agricultura está a acompanhar muito de perto esta matéria» para ajudar os produtores a procurar mercados alternativos, adiantou.