A ministra da Agricultura e do Mar, Assunção Cristas, afirmou-se esta segunda-feira satisfeita com os 108 milhões de euros do Orçamento do Estado destinados ao investimento produtivo, verba que estima resultar numa execução de cerca de 700 milhões de euros.

«Estou contente com o facto de termos conseguido manter as verbas para o investimento produtivo que são exatamente as mesmas que no ano passado e estamos a falar de anos em que executámos as verbas de uma forma sem precedentes», afirmou hoje a ministra da Agricultura e do Mar, Assunção Cristas.

A manutenção dos «108 milhões de euros de contrapartida nacional para os fundos comunitários», vai permitir, segundo a ministra, «ter execuções na ordem dos 700 milhões de euros de despesa pública, entre nacional e europeia», a que acrescerá o investimento privado em que o «setor agroalimentar se tem distinguido».

Assunção Cristas sublinhou o aumento «acima da média» do setor que tem revelado «um crescimento na casa dos 8% ao ano» durante uma visita à Nigel, uma fábrica de transformação e congelação de pescado, em Peniche, que a Governante considerou «um belíssimo exemplo» já que exporta 40% da sua produção.

De 2011 para 2012 «este setor cresceu em exportações cerca de 34% em quantidade e 42% em valor» frisou a ministra assegurando que o Estado se assume como «facilitador» da abertura de novos mercados para a indústria que incentivou a continuar a expansão para novos mercados fora da união europeia.

A visita de Assunção Cristas inseriu-se na inauguração das novas instalações da empresa que no último ano realizou uma obra de remodelação e modernização num investimento de cerca de três milhões de Euros, comparticipados pelo programa comunitário PROMAR em um milhão de euros.

A empresa fundada em 1958 tem uma capacidade frigorífica de 1.200 toneladas de congelação, comercializa mais de cinco toneladas de pescado por ano e emprega mais de 90 pessoas.