Entre as injeções de capital em várias instituições financeiras, do BCP ao Banif, passando pela nacionalização do BPN, pelos vários aumentos de capital da CGD e terminando no BES, a assistência financeira do Estado à banca já acrescentou 21,5 mil milhões de euros à dívida pública, ou seja, 12,9% do PIB, segundo as contas do Jornal de Negócios. É um valor que explica o aumento de 21% da dívida pública registado entre final de 2009 e março de 2014.

No ano passado os apoios à banca somaram 17,5 mil milhões de euros. O valor colocava na altura Portugal no topo do ranking de países da União Europeia onde a assistência à banca mais pesa na dívida pública.

E este ano, essa dívida cresceu: a linha de apoio à banca criada ao abrigo do programa da troika contava, no final de 2013, com apenas 2,4 mil milhões. Com a chegada de novas tranches, subiu para 6,4 mil milhões de euros.

Contas feitas, só este ano a dívida pública já aumentou em mais 4 mil milhões de euros, o que dá um total de 21,5 mil milhões.