O membro do conselho executivo do Banco Central Europeu (BCE) Jörg Asmussen diz que é uma «prioridade urgente» avançar com a união bancária na zona euro para superar o «problema de confiança» em torno da moeda única.

«É essencial construir segurança no setor bancário, aumentar a transparência sobre a qualidade dos ativos», considerou Asmussen num discurso proferido em Londres.

Realçando que os progressos feitos até agora com vista a uma completa união bancária dos 17 da moeda única têm sido «impressionantes», o responsável do BCE alerta contudo para a urgência de não se «descansar sobre os louros» recolhidos até ao momento.

A Comissão Europeia apresenta na quarta-feira a sua proposta com vista à criação do mecanismo único de resolução dos bancos em dificuldades, no quadro das novas medidas para evitar que voltem a ser necessários resgates à banca.

Na semana passada, no final de uma cimeira de chefes de Estado e de Governo da União Europeia, em Bruxelas, o presidente da Comissão, Durão Barroso, já anunciara que o seu executivo iria apresentar em breve a proposta, sublinhando na ocasião que a criação deste mecanismo «assegurará uma tomada de decisão europeia e efetiva sobre os bancos em dificuldades, no âmbito do mecanismo único de supervisão bancária».

«Trata-se de assegurar que são os bancos que pagam pelos seus próprios erros e não os cidadãos», acrescentou, no final da cimeira na qual os líderes europeus discutiram os avanços no aprofundamento da União Económica e Monetária (UEM), nomeadamente a criação da união bancária na zona euro.