O Gabinete de Recuperação de Ativos da Polícia Judiciária está a apreender, desde sexta-feira, saldos de contas bancárias controladas por ex-responsáveis do Grupo Espírito Santo indiciados da prática de crimes vários, noticia o Jornal de Notícias.

O objetivo da operação em curso é arrestar mais de mil milhões de euros. Mas, já em maio do ano passado, o gabinete fez o arresto preventivo de imóveis, com resultados que frustraram as expectativas iniciais.

O último despacho do Tribunal Central de Instrução Criminal, onde o juiz Carlos Alexandre identifica as contas bancárias a atacar pelos homens da PJ, chegou ao GRA na última sexta-feira. As contas visadas são da banca nacional, umas tituladas por pessoas singulares, outras por empresas.

Segundo as informações recolhidas pelo jornal, há situações muito diversas. Desde contas controladas por suspeitos, e que o curso das investigações só agora permitiu identificar, a contas de empresas em situação muito difícil e que são objeto de planos especiais de revitalização (PER).