O secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, desvalorizou hoje a deslocação do primeiro-ministro ao Conselho Permanente de Concertação Social para discutir o Orçamento do Estado e insistiu que a CGTP vai à reunião «apenas» para apresentar as suas propostas.

«O Governo quer dar a ideia que quer negociar com os parceiros sociais, mas na verdade só impõe as suas propostas. Se quer negociar retire as suas propostas», disse o líder da central sindical, reagindo ao anuncio hoje, pelo presidente do Conselho Económico e Social (CES), José Silva Peneda, da deslocação na próxima semana de Pedro Passos Coelho à Comissão Permanente da Concertação Social para debater com os parceiros sociais a proposta de Orçamento para 2014.

Arménio Carlos, que falava durante uma manifestação em Lisboa de trabalhadores das empresas públicas de transporte, explicou que a CGTP «só vai à reunião do CES para mostrar as propostas» da central sindical, e destacou entre essas propostas a remoção do IRS para a maioria das pessoas e a taxação do capital.

O protesto de hoje começou pouco depois das 14:30 com uma concentração no Largo Camões, que não chegou a encher metade dessa praça, seguido por um desfile para o Ministério das Finanças.