O secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, diz que o Presidente da República desrespeitou a vontade dos portugueses ao manter o Governo em funções e corresponsabilizou-o pela política de empobrecimento do país.

«O Presidente da República, ao manter o Governo PSD/CDS em funções, desrespeitou a vontade popular e assumiu-se como corresponsável pelo aprofundamento da política de desastre e de empobrecimento do país», disse Arménio Carlos em conferência de imprensa, no final de uma reunião do Conselho Nacional da CGTP.

O sindicalista considerou que «a manutenção do Governo em funções significa a descredibilização da política e das instituições democráticas».

«A democracia tem de ser revitalizada», disse, acrescentando que isso implica «uma forte participação cívica e a realização de eleições a curto prazo».

«Portugal precisa de uma política soberana», «o povo não suporta mais o definhamento da economia e o empobrecimento».

Com base nestes argumentos, o Conselho Nacional da CGTP decidiu «assumir uma forte dinâmica sindical nos locais de trabalho», reforçar as organizações de base e «exortar os trabalhadores e a população em geral a prosseguir a luta».

Para sexta-feira está marcada, no Porto, uma iniciativa de protesto e a CGTP apela à participação dos reformados e desempregados, bem como à participação do movimento sindical numa ação de protesto da Frente Comum na segunda-feira em Lisboa.

Os sindicalistas da CGTP vão ainda promover uma campanha de sensibilização dos trabalhadores e da opinião pública durante o mês de agosto, sobre os direitos, liberdades e garantias e para exigir a demissão do Governo e a antecipação das eleições legislativas.