A troika já aprovou o novo plano de recuperação de empresas que o Governo elaborou e entregou aos credores a 31 de maio, recebendo luz verde na semana passada, revela o Diário Económico.

São cerca de 10 medidas concretas: é criado um sistema de alerta para os empresários, emitido pelo Banco de Portugal, que se socorrerá do sistema de ratings.

O Processo Especial de Revitalização e o Sireve (Sistema de Recuperação de Empresas por Via Extrajudicial) vão ser reformulados, através de uma simplificação dos instrumentos ao dispor das empresas.

Para responder a uma das principais críticas do FMI vai ser criada uma linha de crédito para as empresas que saiam do PER e do Sireve, assim como fundos para capitalizar essas empresas, cujo financiamento será, em parte, assegurado pelo próximo quadro comunitário de apoio.