Para quem tem um negócio, mas não possui uma plataforma de venda, a rede de lojas CTT e os seus canais na Internet poderão ser um possível parceiro. Pelo menos é isso que os Correios de Portugal esperam com o projeto que acabam de lançar, o Future Opens, destinado a startups ou a pessoas singulares. 

"Procuram-se empresas ou pessoas singulares com menos de três anos de atividade, sem limite de idade, que possuam oferta numa de três categorias: retalho, incluindo produtos de retalho sustentável, de consumo e de tecnologia; serviços, englobando serviços tecnológicos e de consumo; e outros, nas situações em que os candidatos apresentem modelos de negócio que possam apresentar interesse para o negócio dos CTT", explica a empresa.

À TVI24, o diretor marca dos CTT, Miguel Salema Garção, explicou que os Correios têm um duplo objetivo. 

"Sendo uma das melhores redes de retalho, dentro desses três eixos queremos criar valor ao nosso portefólio de produtos e serviços à venda na rede de lojas e nos canais online; e poder, de alguma forma, dar dimensão a projetos que entendamos que são válidos e possam ter sucesso. Não procuramos quantidade, procuramos qualidade, ajudar empreendedores e o tecido empresarial português".

As lojas CTT já vendem produtos de terceiros nas suas lojas, como livros, material de escritório ou artigos de cortiça. E este projeto pretende servir de plataforma para os empreendedores que "necessitem de contacto com cliente", ao mesmo tempo que a ideia é diversificar o leque de produtos disponíveis nos Correios.

Há comissões?

Miguel Salema Garção não foi concreto no que toca às contrapartidas para a empresa. "Não existe comissão cobrada pelos CTT", começou por referir, sugerindo que "cada caso é um caso" e que, naturalmente, "um negócio só é bom quando é bom para as duas partes". 

Se escolhermos esse projeto, sentamo-nos com o empreendedor para encontrar a melhor forma de entendimento. Cada caso será um caso: se for um empreendedor no início da atividade será diferente de um empresário já implementado que queira potenciar o negócio, ganhar escala".

Como efetuar a candidatura?

As candidaturas já estão abertas e decorrem até 20 de novembro. Segue-se um processo com várias fases:

  • pré-seleção, que será anunciada até ao fim do ano.
  • apresentações personalizadas dos projetos pelos candidatos, perante um júri, numa espécie de pitch
  • anúncio dos vencedores que passaram a usufruir da rede de lojas CTT e dos canais de venda online

A previsão é que os vencedores ponham mãos à obra a partir de 2017.

Os candidatos podem apresentar-se conjuntamente com pessoas singulares ou coletivas, "desde que não exista qualquer modalidade jurídica de associação".

Também podem concorrer a mais do que uma categoria. Para isso, basta efetuar o número de inscrições referentes ao número de produtos/serviços ou modelos de negócio a concurso.