O volume total de vendas no retalho alimentar e não alimentar subiu 1% no último trimestre de 2015, face a igual período de 2014, para 4.813 milhões de euros, divulgou esta terça-feira a Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED).

De acordo com a diretora-geral da APED, Ana Isabel Trigo Morais, "excluindo os combustíveis, o volume de vendas subiu 3,2%" nos últimos três meses do ano, face ao período homólogo de 2014, para 4.032 milhões de euros, de acordo com dados da GfK, Kantar e Nielsen, escreve a Lusa.

Ana Isabel Trigo Morais falava num encontro com jornalistas no qual foi apresentada a nova imagem da associação e o tema do IV Congresso da APED, que tem como título "Crescer com o Consumidor", decorre a 03 e 04 de maio em Lisboa e conta com a participação do prémio Nobel da Economia Paul Krugman.

Entre outubro e dezembro, as vendas do setor não alimentar, excluindo os combustíveis, subiram 3,3% para 1.367 milhões de euros e as do setor alimentar avançaram 3,1% para 2.665 milhões de euros.

Incluindo os combustíveis, o volume de vendas do setor não alimentar recuou 1,5%.

As vendas de combustíveis diminuíram, no período em análise, 8,8% para 781 milhões de euros.

Ana Isabel Trigo Morais destacou a "fortíssima quebra na venda dos combustíveis" no período em análise.

"Estes números demonstram que houve uma animação no período do Natal", embora "houvesse uma expectativa de que corresse melhor", disse a diretora-geral da APED.

Para este ano, a "expectativa é de que [as vendas na distribuição] continuem a crescer com moderação", disse, salientando que os consumidores ainda vão continuar à procura das promoções.

No último trimestre do ano passado, as vendas de bens de equipamento subiram 2,4% (para 635 milhões de euros), avançaram 1,9% (para 110 milhões de euros) no entretenimento e papelaria e cresceram 4,5% (para 622 milhões de euros) no segmento do vestuário.

A APED, que além do retalho passou também a representar o comércio eletrónico e o comércio grossista, apresenta desde hoje uma nova imagem, com o mote: "Distribuímos Valor".

Com origem na Associação Nacional de Supermercado, que representou na década de 80 o retalho alimentar, a APED nasceu em 1994 e passou a representar os setores alimentar e não alimentar, agregando atualmente mais de uma centena de empresas e representando cerca de 11% da economia portuguesa.

A diretora-geral apresentou ainda o próximo congresso da associação, que irá decorrer no Museu do Oriente, e que, além de Paul Krugman, contará com a intervenção de várias personalidades, entre elas o presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, e o vice-presidente da TAP, Luiz Gama-Mór.