O presidente executivo do Santander Totta afirmou esta quarta-feira que não tem problemas "quanto à constituição do Governo", porque, apesar de os partidos poderem fazer "alianças, quer à direita quer à esquerda", o fundamental é a estabilidade política.

António Vieira Monteiro, que falava aos jornalistas na apresentação de resultados do terceiro trimestre do banco, acrescentou que "há uma plena confiança em Portugal e naquele que vai ser o futuro de Portugal", não tendo "problemas quanto à constituição do Governo".

Para o presidente de capitais espanhóis, "existem dois partidos fundamentais no país e 80% da população que defendem os compromissos internacionais e estão inteiramente ligados àquilo que é a Comunidade Europeia e os tratados internacionais".

Questionado sobre que tipo de Governo preferia, se à esquerda ou à direita, António Vieira Monteiro foi lacónico: "Não sou político".

O Santander Totta anunciou que aumentou os lucros em 48,7% para os 176,7 milhões de euros no terceiro trimestre, em comparação com igual período do ano passado.

A margem financeira cresceu 3,3%, passando dos 404 milhões de euros no terceiro trimestre do ano passado para 417,5 milhões este ano.