O administrador António Varela, responsável pela supervisão no Banco de Portugal, pediu a demissão, confirmou a TVI24. O Banco de Portugal emitiu entretanto um comunicado, como previsto, a dar conta da situação. 

"O Banco de Portugal informa que o Administrador Dr. António Varela transmitiu hoje ao Conselho de Administração a sua renúncia ao mandato de administrador do Banco de Portugal, apresentada pelo próprio ao Governo, nos termos previstos na lei".

Como se pode ver, o curto comunicado do Banco de Portugal não detalha o motivo da decisão do admininistrador demissionário.

António Varela (Fonte: Banco de Portugal)

Foi em setembro de 2014 que António Varela começou a desempenhar aquelas funções, em substituição de Pedro Duarte Neves, o vice-governador a quem a KPMG garantiu ter avisado sobre os problemas adicionais no Banco Espírito Santo.

Na altura da tomada de posse, a ainda ministra das Finanças Maria Luís Albuquerque teceu vários elogios a António Varela, apontado como futuro sucessor do atual governador, Carlos Costa.

De notar que Varela foi administrador, não executivo, representante do Estado no Banif entre 2013 e 2014, na sequência da injecção estatal de 1.100 milhões de euros. O banco acabou por ser vendido ao Santander no final de 2015.

A supervisão prudencial exercida pelo Banco de Portugal pretende ser, como o nome indica, uma «atividade sobretudo preventiva», segundo explica o Banco de Portugal no seu site. Um cargo sensível que passou a ser presidido por António Varela durante ano e meio.