“Gostaríamos de ter a estação de Santa Apolónia valorizada, com terminal ferroviário, mas aproveitamento comercial, porque do outro lado estará o Terminal de Cruzeiros”, afirmou António Ramalho, quando questionado pelo deputado do PCP Bruno Dias sobre os planos para a estação de comboios de Lisboa.

A pergunta surge depois de na semana passada os representantes de organizações sindicais da ex-REFER terem denunciado “o despejo de trabalhadores de instalações que aos poucos estão a ser objeto de negócios imobiliários”.

Na comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas, António Ramalho admitiu a possibilidade de Santa Apolónia vir a ter um hotel, dando o exemplo bem-sucedido com outros imóveis detidos pela empresa pública, como a estação do Rossio que gera uma renda anual de um milhão de euros.