O presidente da Mota-Engil, António Mota, anunciou hoje que ganhou um contrato para o desenvolvimento de um grande empreendimento turístico nos próximos 10 anos no México, num valor de 1.500 milhões de dólares (1.330 milhões de euros).

O anúncio foi feito por António Mota em Guadalajara, no âmbito da delegação portuguesa ao México liderada pelo vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, e ministro da Economia, António Pires de Lima, que integra cerca de 50 empresas portuguesas.

A Mota-Engil vai desenvolver o projeto turístico nos próximos dez anos em conjunto com sócios locais e o turismo do México, incluindo as obras «todas as infraestruturas do empreendimento» e o início da «construção de quatro hotéis que irão ser a concessionados a exploradores».

«Depois [vamos] vender ao longo do tempo os apartamentos e as tais 5.000 a 7.000 chaves», disse António Mota.

De acordo com o empresário, este «é um investimento grande, a dez anos, com impacto grande no país», e será desenvolvido em Nayarit, a praia mais próxima de Guadalajara.

«O que fizemos hoje foi a apresentação do que estivemos a trabalhar nos últimos meses nesse projeto e assinar o contrato do primeiro arranque das primeiras concessões. É um processo que vai começar a ter visibilidade no local dentro de um ano ou ano e meio», adiantou.

As obras arrancam no início de 2015.

A missão portuguesa assinalou também hoje em Guadalajara, a segunda maior cidade do país, as obras em curso na Linha 3 do Metro da cidade, orçadas em cerca de 400 milhões de euros, ao longo de 13 quilómetros.

Na zona norte, a obra é feita em viaduto ao longo de 8,5 quilómetros, correspondentes a 115 milhões de euros, e no centro da cidade, será realizada obra em túnel, representando cinco quilómetros e um investimento de 235 milhões de euros.

No México, a Mota-Engil tem já em obra pública, concessões e adjudicações públicas, na ordem dos 1.500 milhões de dólares (cerca de 1.330 milhões de euros), distribuídos por 11 estados.

«Temos este contrato em Guadalajara, duas concessões rodoviárias no estado de VeraCruz e no Estado do México, em Toluca, e vários contratos desde Monterrey até Veracruz, Jalisco, cidade do México, um pouco por todo o lado», disse.

Sobre qual o segredo para ganhar todos estes concursos, António Mota desvenda: «Somos melhor do que os outros. É isso que todos os portugueses têm que pensar, é que somos tão bons como todos os outros e temos de ser um bocadinho melhor porque somos um bocadinho mais pequeninos».

António Mota sublinhou ainda a importância desta visita do Governo, destacando o seu apoio aos projetos da empresa.

«Hoje temos quatro dessas pessoas aqui e isso é muito importante», afirmou.