O secretário-geral do PS, António José Seguro, desafiou esta sexta-feira o Governo a criar o Banco de Fomento para apoiar o investimento orientado para o emprego e criticou o executivo pelos atrasos na candidatura de projetos a fundos comunitários.

«Trata-se de uma banco que tem apenas uma prioridade: apoiar os investimentos orientados para o emprego», financiado por Fundos Comunitários em relação aos quais António José Seguro manifestou uma grande preocupação.

«Portugal vai passar a dispor de cerca de 20 mil milhões de euros a partir de 01 de janeiro de 2014 mas o Governo não fez o trabalho de casa», criticou o líder do PS, considerando que o país poderia «estar a beneficiar, já a partir de 01 de janeiro de investimento que é fundamental para dinamizar a nossa economia e para manter e criar emprego».

Porém, acrescentou, como «o Governo está atrasado nos seus projetos», a economia portuguesa só beneficiará dessas verbas «muito mais tarde».

António José Seguro falava em Torres Novas onde hoje ouviu as preocupações de empresários da região, num encontro realizado na sede da Nersant, Associação Empresarial da Região de Santarém.