O ministro da Economia considerou os números do desemprego, conhecidos esta sexta-feira, como «positivos», afirmando que Portugal está numa «boa onda» e saudou o líder da oposição, por ter tido «sentido de Estado» no discurso que fez perante investidores chineses.

Em Braga, à margem de umas jornadas conjuntas entre PSD e CDS, subordinadas ao investimento, António Pires de Lima considerou também positivos, embora de forma «moderada» os números do investimento, também revelados esta sexta-feira, que dão conta de uma subida de 5,2% relativamente a 2014.

Ainda sobre as declarações de António Costa perante uma plateia de investidores chineses na Póvoa de Varzim, no dia 19 de fevereiro, Pires de Lima disse esperar que o líder da oposição tenha sentido de Estado «muitas mais vezes».

«São números positivos, ainda apor cima ocorridos durante o mês de janeiro, que é um mês ainda de sazonalidade, mais fraco da nossa economia. O desemprego caiu mais de 2 décimas. É um esforço enorme que as empresas estão a fazer para recuperar economicamente Portugal, um esforço notável», afirmou Pires de Lima.

O titular da pasta da Economia referiu ainda os números do investimento: «Também moderadamente positivos, mas positivos, os números da recuperação do investimento que hoje foram conhecidos. Em 2014 o investimento cresceu 5,2% inicialmente ao que se tinha projetado há um ano e tal quando se fez o Orçamento do Estado».

Por isso, concluiu o ministro, «é evidente hoje, para quem analisa a evolução da economia portuguesa com objetividade, que Portugal virou».

Para Pires de Lima, «Portugal está numa boa onda e quem insistir em fazer má onda não é compreendido pelas pessoas», isto porque, salientou, «as pessoas querem ter esperança, querem acreditar».

Nesse sentido, o ministro apelou para que quando se falar de «atrair investimento exista sentido de Estado, mas todos os dias».

Sentimento esse que reconheceu em António Costa quando o líder do PS afirmou que Portugal está melhor agora do que em 2015.

«Eu saúdo essas declarações mesmo que agora se digam que foram feitas em nome do sentido de Estado, mas é importante ter sentido de Estado sempre, quando se fala para chineses, para ingleses, é preciso ter sentido de Estado todos os dias quando se pensa nas reformas, no IRC», disse.

Pires de Lima deixou ainda um apelo a António Costa: «Portanto, eu saúdo que o líder da oposição tenha tido sentido de Estado uma vez. Acho que é bom, acho que deve ser saudado e espero que tenha muito mais vezes».

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), a taxa de desemprego foi de 13,3% em janeiro, menos 0,3 pontos percentuais do que em dezembro de 2014 e menos 1,7 pontos face ao período homólogo de 2014.