O primeiro-ministro, António Costa, pediu esta quinta-feira ao PSD para se deixar de "diabos e fantasmas", sublinhando que os sociais-democratas se devem concentrar nos resultados do país em matéria económica e social.

Más políticas trazem maus resultados. Boas políticas trazem bons resultados", disse Costa, no Parlamento, destacando números como o do crescimento da economia ou da descida do desemprego.

E prosseguiu: "O PSD começou por dizer que vinha aí o Diabo. Agora, com o maior crescimento do século, o défice mais baixo da democracia, a dívida com a maior descida de 19 anos, o crescimento de emprego, o diabo não está cá, os resultados são bons, e o PSD não consegue esconder a enorme frustração pelos resultados alcançados".

António Costa respondia a questões do deputado socialista João Paulo Correia no debate parlamentar na generalidade da proposta do Governo de Orçamento do Estado para 2018.

Numa passagem do debate muito crítica para com o PSD, Costa considerou "difícil compreender o que verdadeiramente o PSD deseja para o país", acrescentando, numa referência às futuras eleições nos sociais-democratas: "Espero que com uma nova liderança podemos clarificar o que o PSD pensa".

O primeiro-ministro lembrou ainda críticas do PSD no passado de que este Governo iria apoiar "investimentos públicos megalómanos", num "regresso ao socratismo".

Agora a crítica que fazem é a contrária: em vez de apostarmos no investimento público, apostamos no investimento privado. É o contrário do que diziam há dois anos", atirou António Costa.