O primeiro-Ministro, António Costa, sublinhou esta quarta-feira, em Braga, a mudança do tipo de investimento alemão em Portugal registada nos últimos anos, com uma crescente aposta na tecnologia e no conhecimento.

Falando na inauguração do Centro de Tecnologia e Desenvolvimento da Bosch, que contou com presença da chanceler alemã, Angela Merkel, António Costa destacou ainda que a Alemanha é "desde há muitos anos o primeiro investidor produtivo em Portugal".

Nos últimos anos, temos assistido a uma transferência importante do tipo de investimento que as empresas alemãs têm vindo a fazer em Portugal", referiu o primeiro-Ministro.

Como exemplo, apontou o Centro de Tecnologia e Desenvolvimento da Bosch, hoje inaugurado em Braga.

Aqui onde estamos, há 20 anos, a Blaupunkt produzia rádios. Hoje deixámos de produzir rádios e passámos a produzir conhecimento", disse.

Costa destacou ainda o facto de a Bosch ser parceira em dois "projetos fundamentais" (Laboratórios Colaborativos e Clube dos Fornecedores) no âmbito do Programa Interface, que classificou como "o mais importante do Programa Nacional de Reformas".

Um programa que visa transferir conhecimento e tecnologia das universidades, politécnicos e centros de saber para o tecido económico.

Se queremos ser competitivos no futuro, é com base na inovação e no conhecimento", enfatizou António Costa.

“Cooperação luso-alemã”

Por seu lado, a chanceler alemã destacou a "cooperação luso-alemã" que a presença da Bosch em Portugal representa, referindo que aquela ligação exemplifica como "se está a trabalhar no futuro da Europa" com o desenvolvimento de novas tecnologias.

Sabemos que a nossa prosperidade depende de sermos inovadores, o resto do mundo não fica de braços cruzados e é por isso para mim uma enorme alegria ver que aqui se está a trabalhar no futuro da Europa em cooperação entre dois países fisicamente distantes", afirmou Angela Merkel em Braga, na inauguração do novo centro de Tecnologia e Desenvolvimento (C&T) da Bosch.

Naquele que foi o primeiro momento da visita da chefe de Governo alemã ao país, Angela Merkel afirmou que hoje é "um bom dia" para a Bosch e para Portugal e apontou o setor da tecnologia como "rumo a seguir" para combater o desemprego em Portugal.

O novo centro de Tecnologia e Desenvolvimento (C&T) da Bosch de Braga, irá albergar mais de 200 engenheiros para produção de sensores e funções de software para condução autónoma.

Merkel, deixou ainda um pedido: "Peço aos professores que despertem o entusiasmo aos alunos pelas novas tecnologias porque são profissões do futuro, sabemos que o desemprego foi, e ainda é, um problema, mas a questão é saber qual o rumo a seguir para ter um futuro e os números mostram quais são os setores do futuro", assinalou.

Este centro não é por isso apenas mais um marco da história em Portugal, mas também o testemunho da boa cooperação entre a Bosch, a Universidade do Minho e o Governo português", reforçou assim a opinião da chanceler alemã sobre a cooperação entre os dois países.

 

Investimento de 200 milhões 

Entre 2015 e 2017, a Bosch investiu cerca de 200 milhões de euros em Portugal sendo que este ano os investimentos planeados estão "ao mesmo nível dos anos anteriores", segundo revelou a administração da multinacional alemã.

O novo centro, explica a Bosch, "surge com a diversificação dos projetos de inovação na empresa, incluindo o desenvolvimento de software", um investimento de cerca de 3 milhões de euros numa unidade de 4500 metros quadrados, que ocupou as instalações da antiga FDO, uma construtora bracarense, entretanto falida.

A Bosch destaca-se ainda pela parceria com as universidades portuguesas, e, sendo que o grupo submeteu uma nova candidatura a fundos europeus para projetos a serem desenvolvidos a partir do novo centro de T&D em parceria com a Universidade do Minho

Em fase aprovação, aquela candidatura prevê o investimento de 36 milhões de euros. entre 2018 e 2021.