O primeiro-ministro usou a rede social Instagram para fazer um balanço dos seis meses de Governo. Ao elencar aquela que considera ser a "visão estratégica" da sua equipa, remete pcomo objetivo final a atingir a consolidação orçamental, com uma nuance gráfica, as reticências.

"Há uma visão estratégica, centrada na qualificação, inovação, modernização do Estado, valorização do território, capitalização das empresas, erradicação da pobreza. Só assim teremos mais crescimento, melhor emprego, maior igualdade e...consolidação orçamental sustentável". 

António Costa assume que houve dificuldades nos últimos seis meses, mas considera que cumpriu com êxito a sua troika de compromissos "com os cidadãos, com a maioria parlamentar e com a União Europeia", lê-se na mensagem, acompanhada de um vídeo só com imagens.

"Nem sempre foi fácil, mas já sabíamos que não seria. A cada dificuldade, capacidade de a vencer"

Com ou sem reticências orçamentais, o primeiro-ministro defende que "este é o caminho a percorrer em conjunto". Deixa isso claro, numa altura em que a Comissão Europeia acena com sanções a Portugal por causa do incumprimento do défice em 2015.

E termina a mensagem assim: "Um abraço, António Costa".

 

Faz hoje 6 meses que o XXI Governo Constitucional tomou posse. "Têm sido 6 meses a cumprir o nosso compromisso com os cidadãos, com a maioria parlamentar, com a UE. Nem sempre foi fácil, mas já sabíamos que não seria. A cada dificuldade, capacidade de a vencer. Há uma visão estratégica, centrada na qualificação, inovação, modernização do Estado, valorização do território, capitalização das empresas, erradicação da pobreza. Só assim teremos mais crescimento, melhor emprego, maior igualdade e...consolidação orçamental sustentável. Este é o caminho a percorrer em conjunto. Um abraço. António Costa" #antoniocosta #primeiroministro #xxigoverno #republicaportuguesa #6meses #portugal (Fotos: Clara Azevedo)

A video posted by Antonio Costa PM (@antoniocostapm) on

 

Direita faz outro balanço

O CDS-PP, pela voz da sua líder Assunção Cristas, resume  o primeiro meio ano de governação socialista a três palavras: “desilusão, descrédito e desnorte” e diz que o seu partido está preparado para ir a eleições "em qualquer momento". 

O governo assinala os seis meses de governação com um conselho de ministros extraordinário, durante a tarde, no Palácio da Ajuda, em Lisboa.

O XXI Governo Constitucional é composto por 17 ministros e 41 secretários de Estado.

Em abril, o executivo sofreu as primeiras alterações, com a substituição da equipa da Cultura e a mudança do secretário de Estado da Juventude e do Desporto.