O Banco Central Europeu está a preparar-se para aplicar uma multa ao BPI, a partir de 10 de abril, se o banco não resolver a exposição ao mercado angolano no prazo dado pelo regulador.

Segundo o Jornal de Negócios, a multa será diária e, no limite, o BPI poderá ser obrigado a pagar até 5% do volume de negócios diário médio por cada dia de infração.

Se o indicador de volume de negócios a ter em conta for o produto bancário, o banco de Fernando Ulrich arrisca-se a pagar um máximo de 3,2 milhões de euros por dia.

Há mais de um ano que o BPI comunicou ao mercado a necessidade de reduzir a sua exposição a Angola, onde tem 50,1% do Banco de Fomento de Angola. O problema não ficou resolvido porque a Santoro, de Isabel dos Santos (e que detém 18,6% do BPI), vetou o projeto de cisão dos ativos africanos.