O governo alemão aprovou esta quarta-feira a antecipação da idade da reforma para os 63 anos, desde que o trabalhador tenha descontado 45 anos, uma medida acordada pela coligação liderada pela chanceler Angela Merkel.

Segundo o El País, para a aplicação deste pacote legislativo o governo terá de desembolsar mais 11 mil milhões de euros anuais até 2030, que irão ser financiados com reservas próprias provenientes do seguro obrigatório de reforma. O objetivo é que esta medida entre em vigor já a 1 de abril.

Andrea Nahles, a ministra do Trabalho que preparou o diploma, defendeu que esta medida é «justa», já que destina a beneficiar aqueles que «há décadas» trabalham e descontam. «Não é um presente. Merecem-no», sustentou a governante.

O ex-chanceler Schröder, que tinha inclusivamente aprovado a subida da idade da reforma gradual até aos 67 anos, já veio criticar a medida.