O primeiro-ministro, António Costa, e a chanceler alemã, Angela Merkel, disseram esta quinta-feira em Lisboa que a União Europeia terá uma resposta comum à eventual imposição pelos Estados Unidos de taxas aduaneiras ao aço e alumínio europeus.

Ainda não conhecemos a decisão [da administração norte-americana], mas se realmente forem impostas essas taxas, temos uma posição clara da União Europeia: pensamos que essas taxas não estão de acordo com as regras da Organização Mundial do Comércio”, afirmou Merkel, após uma reunião com o seu homólogo português, a encerrar uma visita de dois dias a Portugal.

 

Claro que iremos decidir e responder em conjunto, mas não vou antecipar, porque ainda não sabemos o que os Estados Unidos vão fazer”, disse a chanceler alemã, depois de recordar que os Estados-membros da União Europeia já defenderam a sua exclusão das eventuais taxas aduaneiras.

Por seu lado, António Costa mostrou-se otimista: “Espero o ‘tweet’ [de Donald Trump] traga boas noticias, mas o que é essencial é que a Europa tem uma política comercial comum, e tal como já demonstrámos a propósito do ‘Brexit’, não nos deixamos dividir”.

Agiremos sempre em conjunto na prossecução daquilo que é o interesse comum da Europa. Uma Europa que quer continuar a participar num mundo onde as fronteiras não se fechem às pessoas mas também onde não se criem barreiras à circulação de comércio, porque é um fator de prosperidade que devemos preservar”, defendeu o chefe do Governo português.

Os dois chefes de Governo falavam, em conferência de imprensa, no Palácio Foz, em Lisboa, após uma reunião bilateral, que encerra uma visita de dois dias da chanceler alemã em Portugal, na sequência de um convite formulado por António Costa.