Cerca de 60% das famílias têm um pacote de serviços, representando o triple play (Internet, telefone fixo e televisão) 73% do total, revela um estudo da ANACOM, que mostra que a penetração destes pacotes em Portugal ultrapassa a média europeia.

Baseado num inquérito, o estudo que foi efetuado pela ANACOM ¿ Autoridade Nacional de Comunicações, evidencia e revela que «de acordo com os dados dos prestadores de serviços, no final de 2012 cerca de seis em cada dez famílias dispunham de um pacote de serviços», com dois ou mais serviços.

O destaque recai sobre os pacotes triple play, correspondentes a 73% do total, seguidos pelos pacotes double play, em que as ofertas combinadas de telefone fixo e televisão por subscrição representavam 18%, e as de telefone fixo e internet fixa 6%.

Na decisão das famílias portuguesas pesa a redução do preço face à compra isolada dos pacotes, a simplicidade associada ao pacotes e a existência da fatura única.

O Grupo Portugal Telecom (PT) e a então Zon Multimédia detinham na mesma altura quotas de mercado em volume de clientes de pacotes de serviços muito próximas, de 42,9% e 40,4%, respetivamente, seguidas pela Cabovisão com uma quota de mercado de 10%, Vodafone com 4% e Optimus com 3%.

O regulador dá conta de uma descida dos preços médios dos pacotes de serviços entre 2009 e 2012, que justifica com o aumento da diversidade de pacotes, da concorrência e da duração do período de fidelização, de um ano para dois anos, no caso dos pacotes triplos, «o que poderá permitir distribuir os custos de instalação por um período mais alargado de tempo».

«A atribuição de descontos associados a pacotes de serviços parece ter vindo a aumentar ao longo do tempo», frisa a ANACOM.

O telefone fixo foi o serviço menos valorizado no pacote de serviços, com cerca de 13% dos inquiridos a referir que desistiriam desse serviço caso tivessem de o adquirir isoladamente, um resultado que, segundo a ANACOM, "sugere que alguns inquiridos podem estar a adquirir serviços dos quais não teriam muita necessidade e que também pode ser reflexo das ofertas existentes no mercado".

Isto porque atualmente a esmagadora maioria das ofertas em pacote incluem esse serviço, e em alguns casos com chamadas gratuitas para a rede fixa.

O estudo revela ainda que cerca de 8% dos inquiridos afirmou ter mudado de prestador de serviços no último ano e 17% afirmou ter ponderado mudar de prestador de serviços, apesar de não o ter feito em alguns casos pelo facto de o prestador ter descido o preço das ofertas.

Além disso, lembra o regulador das comunicações, a mudança de operadores «é muitas vezes dificultada pelo facto de os consumidores não terem consciência da existência de períodos de fidelização e outras características da oferta», uma situação que considera «tanto mais relevante», uma vez que é nos contratos celebrados mais recentemente que se verificam maiores períodos de fidelização.

«A grande utilização de pacotes de serviços de telecomunicações junto das famílias" coloca Portugal acima da média da União Europeia a 27 Estados-membros em termos de penetração de pacotes, sobretudo triple play, com 49% contra 45%, respetivamente, revela a ANACOM.

O estudo da ANACOM, Barómetro de Telecomunicações - Rede Fixa, cujo universo é composto pelos lares de Portugal Continental e regiões autónomas da Madeira e dos Açores, tem a seguinte ficha técnica: Mensalmente é recolhida uma amostra de cerca de 1200 lares, proporcional ao universo em estudo e representativa do mesmo. A análise dos resultados refere-se ao trimestre móvel, com uma dimensão amostral de cerca de 3 600 inquiridos e uma margem de erro inferior a 1,6 p.p. (com um nível de confiança de 95%).