As portagens no Túnel do Marão, que brevemente ligará Amarante a Vila Real, vão custar entre os 1,95 euros para os veículos classe 1 e os 4,90 para os de classe 4, disse esta terça-feira fonte oficial.

De acordo com a fonte as portagens a praticar na Autoestrada do Marão são de 1,95 para veículos de classe 1, de 3,40 (classe 2), 4,40 (classe 3) e 4,90 (classe 4).

O empreendimento, que está em fase de conclusão e abrirá ao público em breve, irá ligar de forma mais rápida e segura Amarante a Vila Real, permitindo a ligação por autoestrada entre o Porto e Bragança (A4).

Os sistemas de portagens, pórticos idênticos aos instalados nas antigas SCUT, estão colocados junto ao nó da Campeã, perto de Vila Real.

A fonte referiu ainda que, nesta autoestrada, se vão aplicar os descontos praticados nas ex SCUT, nomeadamente para os veículos de mercadorias 10% no período diurno, 25 % no período noturno, fins de semana e feriados

Os motociclos terão um desconto de 30% (com utilização de dispositivo eletrónico).

Desde o início que o projeto desta autoestrada prevê o pagamento de portagens, no entanto, numa região onde as empresas e utentes se queixam de pagar as portagens “mais caras do país” na A24 (Viseu, Vila Real, Chaves), reivindicavam “valores mais acessíveis e competitivos” para a nova via.

O preço da portagem previsto para a Autoestrada do Marão, aquando do arranque da obra há sete anos, era de cerca de três euros.

A fonte salientou que as portagens se justificam devido à existência de uma via alternativa, o Itinerário Principal 4 (IP4), que se vai manter em funcionamento, e porque se trata de “uma obra de extraordinária dimensão, com um investimento financeiro muito significativo”.

Apesar da portagem, os empresários de Vila Real acreditam que a viagem que vai passar pelo túnel rodoviário de quase seis quilómetros “vai compensar” devido à segurança e a uma maior rapidez na viagem, ainda devido aos custos do combustível e o desgaste dos veículos com a subida da serra do Marão, pelo IP4.

O IP4 é uma via sinuosa, considerada perigosa e que, ao longo dos anos, tem sido palco para muitos acidentes, vários com vítimas mortais.

 

Bombeiros preparam-se em Espanha para intervir no Túnel do Marão

Vinte bombeiros de quatro corporações realizam esta semana uma formação de três dias, em Espanha, para treinarem o socorro e se prepararem para intervir dentro do Túnel do Marão, disse esta terça-feira fonte dos voluntários.

Orlando Matos, comandante da Cruz Branca, de Vila Real, afirmou à agência Lusa que os bombeiros vão estar a partir de quarta-feira, em Oviedo, no centro de formação "Tunnel Safety Testing" (TST), para testarem, num cenário em escala real, o combate ao fogo em viaturas e a ventilação dentro de um túnel rodoviário.

Os bombeiros da Cruz Branca, Cruz Verde, Amarante e Vila Meã serão os que terão a missão de intervir dentro do Túnel do Marão, inserido na autoestrada que deverá ligar, a partir deste mês, Vila Real a Amarante.

Trata-se do maior túnel rodoviário da Península Ibérica que possui quase seis quilómetros de extensão.

Esta formação vem dar resposta a algumas preocupações reveladas por Orlando Matos, em fevereiro, altura em que disse que os bombeiros ainda desconheciam o que existe no túnel interior em termos de segurança, que ainda não dispunham de equipamentos nem formação específica para intervenção dentro desta infraestrutura.

O comandante disse estar satisfeito com esta resposta dada ao caderno reivindicativo apresentado pelas corporações, mas lamentou "a rapidez com que se tenha de fazer tudo agora", quando se "podiam ter programado as coisas com tempo".

Apesar da “pressão das datas”, Orlando Matos frisou que os bombeiros querem fazer parte da solução e não do problema.

No final do mês, mais cinco bombeiros de cada uma das quatro corporações irão a Espanha realizar a formação que tem 16 horas.

Serão depois estes 10 bombeiros da Cruz Branca que irão replicar os conhecimentos por outros elementos da corporação.

A partir de domingo, segundo o comandante, serão feitas visitas ao Túnel do Marão acompanhadas por técnicos da obra que permitirão conhecer o “ambiente e os sistemas de segurança disponíveis”.

Estas visitas também irão decorrer à noite para mobilizar “o maior número possível de voluntários” e, depois, no dia 13 será feito um exercício de desencarceramento que envolverá bombeiros, INEM e GNR.

Orlando Matos disse ainda que, em princípio, até ao dia 13 de abril serão também entregues cinco equipamentos individuais e máscaras respiratórias às corporações.

Os bombeiros reivindicam também veículos vocacionados para a infraestrutura túnel, com características específicas como seja um canhão de projeção ou uma câmara térmica, o que poderá vir a acontecer, mais tarde, no âmbito de candidaturas a fundos comunitários.

Depois de concluídas as obras de construção civil dentro do túnel, estão agora a decorrer os testes dos equipamentos de segurança do empreendimento.

Até ao momento ainda não foi anunciada a data oficial de abertura desta autoestrada que vai ligar a A4 (Porto/Amarante) à Autoestrada Transmontana (Vila Real/ Bragança) e que demorou sete anos a concluir.