O ex-ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, anulou, dias antes de sair do Governo, um contrato assinado em março de 2005 pelo então ministro da Defesa Paulo Portas, relativo à compra de torpedos para os submarinos.

De acordo com o «Correio da Manhã», Santos Pereira deu instruções para ser declarado o incumprimento definitivo do contrato de contrapartidas. O chumbo foi emitido depois de se constatar que, a seis meses de terminar, não há projetos executados.

Os contratos de fornecimento e de contrapartidas dos torpedos para os submarinos custaram 46,2 milhões de euros.