O Governo prepara-se para anular alguns concursos para dirigentes de topo da administração pública, lançados pelo anterior executivo e cujas propostas de nomeação não chegaram a ser concretizadas, avança o Público.
 
A anulação dos concursos tem como base legal o Estatuto de Pessoal Dirigente, cujas alterações entraram em vigor em outubro do ano passado.
 
Além da alteração de perfil, a lei não prevê outros motivo para anulação dos concursos.
O governo anterior deixou pendurados 41 processos, sendo que o atual Executivo já nomeou os dirigentes de cinco destes concursos, ficando a faltar 36.