As operadoras NOS e Vodafone chegaram a acordo sobre a disponibilização recíproca de direitos de transmissão de futebol, anunciou a NOS, em comunicado. A operadora refere ainda que outros operadores como a PT, da Altice, poderão aderir ao acordo em condições idênticas.

Em comunicado divulgado no site da CMVM, a NOS adiantou que assinou um memorando de entendimento com a Vodafone, definindo "as principais linhas gerais de um acordo".

Esta visa "a disponibilização recíproca de direitos de transmissão relativos a eventos desportivos, bem como de direitos de transmissão e distribuição de canais de desporto e de canais de clubes".

O acordo também cobre a comparticipação nos custos actuais e futuros associados aos conteúdos desportivos.

"No referido memorando de entendimento prevê-se ainda que os demais operadores de comunicações electrónicas presentes no mercado português poderão aderir ao acordo que venha a ser estabelecido, desde que tal adesão seja efectuada nos termos e condições idênticas às acordadas entre as partes", referiu.

Detalhes sobre o acordo não revelados

Segundo analistas, contactados pela Reuters, a incógnita sobre o plano da NOS para monetizar o milionário investimento em conteúdos televisivos de futebol tem sido um factor de incerteza que contém o potencial de subida das acções e ofusca os fortes fundamentais da telecom. 

Desde Dezembro de 2015, a NOS e a PT lançaram-se numa disruptiva corrida por conteúdos de transmissão de jogos de futebol da Primeira Liga e canais dos clubes, cujo investimento previsto ascende a mais de 1.300 milhões de euros.

A partir de Julho, os direitos de transmissão do Canal Benfica TV e a exploração dos jogos do Benfica cabem à NOS, que também assinou um contrato com o Sporting, que inclui a Sporting TV e a transmissão dos jogos em casa a partir de Julho de 2018.

Michel Combes, Chief Operating Officer (COO) da Altice, que comprou os direitos de transmissão televisiva do Futebol Clube do Porto, disse a 11 de Maio que está aberto a um acordo 'wholesale' para partilhar os conteúdos desportivos mas "não a qualquer preço". 

A PT Portugal já detém os direitos de comercialização da distribuição do Porto Canal e comprou os direitos de transmissão dos jogos em casa do Futebol Clube do Porto a partir de Julho de 2018.