Os estatutos do Novo Banco foram alterados pelo Fundo de Resolução, abrindo a porta à venda faseada do capital a investidores privados, ao contrário do que estava previsto na versão original dos estatutos, aprovada pelo Banco de Portugal. 

Novo Banco começa a negociar obrigações do BES

Segundo o Diário Económico, esta alteração consta das atas da reunião da comissão diretiva do Fundo de Resolução de 8 de setembro, e não foi a única. Foi alterado o artigo 4º que antes estipulava que o capital social do Novo Banco devia ser «totalmente detido pelo Fundo de Resolução».

A nova versão refere que o capital «será inicialmente detido na sua totalidade pelo Fundo», o que significa que fica aberta a porta à entrada de um investidor privado no capital da instituição, ainda antes da alienação da totalidade do capital pelo Fundo de Resolução.

A venda faseada do capital a um ou mais investidores é um dos cenários possíveis. Um dos ativos que deverá ser alienado é o Banco Espírito Santo de Investimento, conforme noticiou na semana passada o Wall Street Journal.