O parlamento grego deverá adotar hoje um programa de medidas sociais para aliviar a austeridade no país, nomeadamente uma cobertura de saúde aos gregos sem direito à segurança social.

Essas medidas tiveram a sua aprovação em dezembro, estando à espera da aprovação da União Europeia (UE) e do Fundo Monetário Internacional (FMI).

O texto faz parte do “programa paralelo” prometido aos gregos pelo Governo do primeiro-ministro Alexis Tsipras, em contrapartida ao ajuste fiscal ditado pelos credores do país, nesse verão, em troca de novos empréstimos, no valor de 86 mil milhões de euros.