O ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, declarou hoje que o equilíbrio das contas públicas deve tornar-se a «nova norma», numa alocução na câmara baixa do parlamento, Bundestag.

«Dessa forma, o peso do endividamento, que é elevado, torna-se suportável», acrescentou.

A Alemanha tem uma dívida da ordem dos dois biliões de euros, número que desceu ligeiramente pela primeira vez o ano passado.

Segundo Schäuble, as regras europeias devem ser respeitadas.

«Não vamos criar um clima de confiança na Europa se infringirmos sempre as regras», indicou, considerando que a confiança «é o capital mais precioso».

O ministro alemão falava um dia depois de se ter reunido com o seu homólogo francês, Michel Sapin, que prometeu que a consolidação das finanças públicas francesas continuará a ser uma prioridade, enquanto Schäuble se mostrou mais compreensivo e disse que Paris «está consciente das suas responsabilidades».

Numa entrevista divulgada hoje pelo jornal Bild, o ministro alemão afirmou que não podia garantir o equilíbrio do orçamento federal do próximo ano devido às incertezas em relação à Ucrânia.

«O futuro é imprevisível e não posso dar garantias», declarou o ministro, acrescentando que «ninguém sabe como vão evoluir as coisas na Ucrânia».

Mas as hipóteses de se chegar a um orçamento equilibrado são boas e «vamos fazer tudo para que isso aconteça», acrescentou.

A intervenção de Schäuble abriu hoje quatro sessões de debates orçamentais no Bundestag, onde na quarta-feira estará a chanceler alemã, Angela Merkel.