O parlamento alemão vota na sexta-feira o prolongamento até junho da assistência financeira à Grécia, na condição de que tenha sido aprovado pelas instituições credoras até lá, anunciou esta terça-feira o líder do grupo parlamentar dos democratas-cristãos.

A moção vai ser apresentada à câmara baixa (Bundestag) pelo ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, seguindo-se um debate de 90 minutos, segundo Michael Grosse-Brömer, líder parlamentar da União Democrata-Cristã de Angela Merkel.

O responsável disse estar confiante de que «vai ser alcançado um amplo acordo», mesmo que alguns deputados mostrem «reservas a fazer mais pagamentos» à Grécia.

Os dois partidos da coligação governamental, a CDU e o social-democrata SPD, têm uma larga maioria no parlamento alemão.

O prolongamento do programa foi decidido na sexta-feira na reunião do Eurogrupo e Atenas comprometeu-se a apresentar uma lista de reformas a realizar como contrapartida do empréstimo, lista que chegou a Bruxelas na segunda-feira à noite.

Os ministros das Finanças da zona euro vão reunir-se hoje em teleconferência para debater a lista de Atenas, desde que, disse o presidente do grupo, Jeroen Dijsselbloem, a Comissão Europeia, o Banco Central Europeu e o Fundo Monetário Internacional deem o seu aval ao plano de reformas grego.

Schäuble escreveu formalmente aos deputados alemães na segunda-feira pedindo-lhes que votem a favor da extensão do programa, que expira oficialmente no próximo sábado, último dia de fevereiro.

Além da Alemanha, países como a Finlândia, a Holanda e a Estónia têm de submeter aos respetivos parlamentos o prolongamento da ajuda à Grécia.