A chanceler alemã, Angela Merkel, afirmou no domingo ter «feito muito» a favor da estabilização do euro na presente legislatura e citou como exemplo as garantias de crédito acordadas com Espanha e Portugal, esperando fazer o mesmo na Grécia.

«Temos demonstrado que a linha da consolidação orçamental é compatível com os impulsos», assegurou a chefe do Governo alemão numa entrevista à televisão pública alemã ARD, a título de balanço da sua governação na atual legislatura antes das eleições gerais de 22 de setembro.

As garantias de crédito assinadas pelo ministro das Finanças, Wolfgang Schäuble, com «Espanha, Portugal e provavelmente com a Grécia» são exemplos que vão nessa direção, acrescentou a chanceler alemã, expressando a sua determinação em manter esse rumo na próxima legislatura, mostrando-se assim confiante na reeleição.

«Temos feito o necessário para estabilizar o euro», pois «estamos conscientes que só quando a Europa vai bem a Alemanha funciona [bem]», afirmou Merkel.

A este propósito, Merkel insistiu que sob a sua gestão se avançou no sentido de alcançar a redução do endividamento estrutural alemão, que deverá passar dos 50 mil milhões de euros acumulados para o nível zero já em 2014.

À escala europeia, referiu ainda, o Governo da Alemanha demonstrou aos seus parceiros que «não serão deixados sozinhos no meio da incerteza», e está disposto a agir «com transparência» e de acordo com os devidos «órgãos de controlo» sobre as medidas adotadas.