O grupo alemão Lufthansa prevê suprimir, na quinta-feira, perto de 600 voos, principalmente na Europa, devido a uma greve do pessoal de terra em vários aeroportos alemães, incluindo o de Frankfurt.

A decisão surge depois de um apelo à greve do sindicato dos serviços Verdi, no âmbito de um conflito sobre uma revalorização salarial nos serviços públicos alemães.

«As companhias aéreas do grupo Lufthansa esperam consideráveis perturbações do movimento aéreo», referiu a empresa em comunicado.

«Prevemos o cancelamento de 600 voos devido à greve», referiu um porta-voz da empresa à France Presse.

Segundo o operador do aeroporto de Frankfurt, Fraport, uma antiga empresa pública, mais de 9 mil funcionários deste são remunerados de acordo com a tabela salarial dos serviços públicos.

A Lufthansa vai suprimir quase todos os voos internos e as ligações europeias a Frankfurt e Munique até às 13:00 TMG.

Prevê-se também que haja perturbações nos aeroportos de Estugarda, Colónia/Bona, Hamburgo, Hanover e Dusseldorf, mas neste último os atrasos e cancelamentos deverão ser mínimos dado que apenas 10% do seu pessoal é afetado pelas referidas negociações salariais.

A Air Berlin, segunda companhia aérea alemã, cancelou apenas seis voos de quinta-feira. «Esperamos um impacto fraco, mas não está excluído que sejam anunciadas outras anulações ou atrasos», declarou um porta-voz.

A empresa ferroviária alemã Deutsche Bahn anunciou ter mobilizado mais pessoal para quinta-feira, prevendo um aumento de passageiros nos comboios.

Devido às negociações salariais, vários serviços públicos têm sido afetados por greves nas últimas semanas, dos transportes públicos aos jardins-de-infância.