O presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, classificou «de irresponsáveis» as especulações em relação à possível saída da Grécia da União Europeia, informou o jornal alemão «Die Welt».

No passado fim-de-semana, o semanário alemão «Der Spiegel» tinha avançado que Alemanha pondera a saída da Grécia do euro, caso Alexis Tsipras, do Syriza, vença as eleições antecipadas a 25 de Janeiro.

Em reação, Schulz admitiu que «deve ser claro que uma saída do euro não é um tema em discussão» e pediu que sejam evitados comentários durante as presidenciais gregas. «Os conselhos não desejados que possam dar a sensação ao povo grego de que não é ele que decide sobre o seu destino nas eleições, mas Bruxelas ou Berlim, poderão lançar os eleitores nos braços das forças radicais».

O presidente confirmou que Atenas se comprometeu a manter o plano de reformas, a longo prazo. Todavia, caso a vitória de Tsipras se verifique, Atenas não vai receber a tranche pendente de 10.000 milhões de euros.

Segundo alguns analistas citados pelo jornal «Bild», se a Grécia sair da zona euro poderá registar-se um colapso nas instituições bancárias do país.

O porta-voz do governo alemão recusou-se a comentar suposições negando que a Alemanha tenha mudado de postura em relação à Grécia.