Berlim considerou esta segunda-feira que as "condições para as negociações sobre um novo programa de ajuda" não estão reunidas, tendo em conta a "decisão de ontem (domingo) dos cidadãos gregos". Declarações que vão em sentido contrário, por exemplo, do governo espanhol, que se mostra "disponível" a negociar um novo resgate à Grécia.

O Governo alemão "tomou conhecimento do 'Não' claro expresso e respeita este resultado, o Governo federal continua pronto para o diálogo (...), mas tendo em conta a decisão de ontem (domingo) dos cidadãos gregos, as condições para negociações sobre um novo programa de ajuda não estão reunidas", declarou hoje o porta-voz do executivo alemão, Steffen Seibert.Seinbert.

O porta-voz do Governo alemão, Steffen Seibert, assegurou num encontro com os meios de comunicação em Berlim que a "Grécia está na zona euro" e que "está nas mãos da Grécia e do Governo daquele país que esta situação possa continuar assim".

Este domingo, os gregos foram chamados às urnas para decidir se aceitavam o programa proposto pelos credores há mais de uma semana e a resposta não deixou margem para dúvidas: o “Oxi” (“Não”) venceu com mais de 60% dos votos e tomou conta das ruas de Atenas, com milhares a celebrarem os resultados do referendo.  

A vitória expressiva do “Oxi” terá surpreendido tudo e todos depois de, na última semana, todas as sondagens terem espelhado um país dividido e apontado o empate técnico entre o “Sim” e o “Não” como o resultado mais provável.