O Freeport de Alcochete vai dar trabalho a mais de 150 pessoas, graças às obras de remodelação que vão permitir ao outlet aumentar o número de lojas para 130 e, assim, empregar mais pessoas.

“O projeto de reformulação integral do Freeport Fashion Outlet de Alcochete, num investimento de 20 milhões de euros, levará ao aumento do número de lojas no centro em mais 35, para 130, e será responsável pela criação de emprego superior a 150 postos de trabalho”, explicou o gestor Nuno Oliveira, citado pela Lusa, durante a sua apresentação, em Lisboa.

“A intervenção no centro iniciar-se-á no final de maio e será feita por fases, estando prevista a conclusão das obras na primavera de 2017, o que vai permitir reforçar a oferta de moda e luxo presente no ‘outlet’ e criar uma nova praça dedicada à gastronomia”

As obras não irão afetar a atividade normal do centro e vão permitir ajustar a Área Bruta Locável (ABL) dedicada à comercialização para 37.786 metros quadrados.

Segundo Nuno Oliveira, “o motor arquitetónico do novo projeto tem subjacente a ideia de trazer Lisboa para o Freeport”. “As fachadas onde estão as lojas, a utilização de azulejos, o mobiliário urbano do Freeport e todos os espaços públicos vão proporcionar [também] um ambiente de turismo muito semelhante a Lisboa”, salientou.

A instalação das novas lojas vai permitir um crescimento do volume de negócios do Freeport superior a 20%, sendo que o perfil das novas marcas internacionais se situa no segmento ‘fashion’, o qual "é extremamente valorizado" pelos clientes portugueses e estrangeiros.

“A criação de uma nova praça dedicada à gastronomia, complementará a experiência de ‘shopping’ que queremos proporcionar aos clientes”, disse Nuno Oliveira, adiantando que se estima com este o investimento que haja "um incremento de cerca de 20% dos resultados anuais”.

O Freeport alcançou vendas recorde em 2015, que cresceram 6,2% face 201, e o total de visitantes aumentou 3,8%, repartindo-se entre visitantes nacionais e internacionais.

Ali, é possível encontrar grandes marcas internacionais de moda, incluindo o segmento de luxo, com descontos durante todo o ano.

O empreendimento foi comprado no final de 2014 pelo grupo VIA Outlets, composto pela UK REIT Hammerson, a APG, gestora de ativos de fundos de pensões holandeses, a Meyer Bergman, gestora de ativos de retalho, e a Value Retail, especialista em centros ‘outlet’.