A assistência financeira a Portugal deverá ser prolongada por mais seis semanas, até 29 de junho, data em que Portugal receberá a última tranche do empréstimo, de acordo com um documento da Comissão Europeia.

«A assistência financeira é disponibilizada durante três anos e seis semanas a partir do primeiro dia após a entrada em vigor da presente decisão», lê-se num relatório da Comissão Europeia para a aprovação final da 11.ª avaliação ao Programa de Assistência Económica e Financeira (PAEF) de Portugal.

No documento, a Comissão refere que o período de disponibilização de assistência financeira termina a 18 de maio e dá conta de que este prazo será prorrogado por seis semanas, previsivelmente até 29 de junho.

Bruxelas justifica a decisão com «razões técnicas» relativas à disponibilidade de dados, bem como com a necessidade de fazer uma «apreciação cabal do cumprimento do programa no âmbito da avaliação final, com a devida diligência, o que é uma das condições para o pagamento da última fração» do resgate.

Por isso, Bruxelas refere que se «impõe, como formalidade necessária, uma pequena prorrogação do período de disponibilidade da assistência financeira por seis semanas», o que significa que o programa, afinal, se estenderá até 29 de junho.

O Governo tinha já anunciado - e por várias vezes o tem repetido - que o programa de resgate de Portugal termina a 17 de maio, exatamente três anos depois da assinatura do memorando de entendimento inicial, ainda pelo Governo socialista de Sócrates.

A agência Lusa tentou contactar o Ministério das Finanças para comentar esta situação, mas até ao momento ainda não foi possível.