A Grécia e os seus credores chegaram a um acordo sobre as metas orçamentais do país para os próximos três anos, informou esta noite uma fonte governamental citada pela agência ANA.

Já esta manhã, o ministro das Finanças grego, Euclides Tsakalotos, anunciou o acordo, apesar de admitir que ainda falta acertar alguns “pequenos detalhes”.

Esta notícia também foi confirmada pela União Europeia (UE). “Sim, há um acordo”, disseram à Efe fontes comunitárias, sem adiantar detalhes.


Metas orçamentais para os próximos três anos


Foi acordado que a Grécia vai enfrentar um défice primário (saldo orçamental excluindo os pagamentos de dívida) de 0,25 do PIB em 2015, antes de um excedente primário de 0,5% do PIB em 2016, de 1,75% em 2017, e de 3,5% em 2018, segundo a fonte.

Após terem prosseguido durante todo o fim de semana, as discussões entre Atenas e os credores sobre um terceiro plano de resgate à Grécia recomeçaram na manhã de segunda-feira.

Na segunda-feira foi referido que o Governo grego pretende que o texto do acordo seja votado pelos deputados na quinta-feira, para que seja apresentado no dia seguinte aos ministros das Finanças da zona euro (Eurogrupo).

Este cenário, caso se concretize, permitiria a entrada em vigor do novo plano de ajustamento antes de 20 de agosto, data em que a Grécia deve proceder a mais um reembolso ao Banco central europeu (BCE) no montante de 3,4 mil milhões de euros.