As Finanças disseram esta quinta-feira que os dados apresentados nos comunicados da troika na conclusão da terceira missão pós-programa a Portugal estão baseados em projeções, entretanto, desatualizadas.

No dia em que a troika (Fundo Monetário Internacional, Comissão Europeia e Banco Central Europeu) recomenda a “avaliação cuidadosa de algumas medidas” do Governo, o Ministério das Finanças salienta que “os dados apresentados nos Comunicados finais destas instituições internacionais estão baseados em projeções entretanto desatualizadas”.

“O Governo toma nota dos pontos levantados pelas instituições internacionais. No que respeita às perspetivas orçamentais o Governo reafirma o seu respeito tanto pelo Programa aprovado na Assembleia da República como pelos compromissos internacionais”, lê-se no comunicado das Finanças.

A troika recomendou hoje, na conclusão da terceira missão pós-programa a Portugal, que o impacto de medidas recentemente adotadas como o aumento do salário mínimo deve ser “cuidadosamente avaliado”.

“O impacto das medidas recentes e das planeadas sobre o salário mínimo deve ser cuidadosamente avaliado em relação ao seu impacto na estrutura salarial e nas perspetivas de emprego menos qualificado”, lê-se no relatório.

A troika diz que as “condições de empréstimo para Portugal permanecem favoráveis”, mas que, “no entanto, em comparação com o programa de estabilidade para 2015, a estratégia orçamental pelo novo Governo aumentou as necessidades de financiamento brutas”.