A Parpública encerrou o primeiro semestre com um lucro de 31,9 milhões de euros, depois do prejuízo de 44,8 milhões do período homólogo, um resultado “significativamente” influenciado pela saída da TAP do perímetro de consolidação, foi hoje anunciado.

“Se é certo que a generalidade das empresas do gupo apresentou um melhor desempenho económico no semestre em análise, a comparação com o semestre homólogo em termos de resultados é significativamente influenciada pela saída do perímetro de consolidação do grupo TAP, tanto mais que este havia registado no 1.º semestre de 2015 um prejuízo superior a 140 milhões de euros”, lê-se no relatório e contas divulgado hoje pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

No plano operacional, a Parpública destaca a “expressiva redução do nível dos rendimentos e dos gastos que é justificada pela saída do grupo TAP, que representava a principal fatia do volume de negócios”, e, “embora com expressão mais reduzida, da saída da EGF do universo do grupo AdP [Águas de Portugal]”.