A descida acentuada das taxas de juro da dívida pública vai continuar, antecipam os analistas, mas quanto mais os juros caem, mais difícil se tornará para o IGCP atrair novos investidores para a dívida pública, escreve o Jornal de Negócios.

Isto porque o rating se mantém em «lixo», e, a menos que a notação melhore, Portugal vai continuar limitado a um tipo de investidores que podem deixar de ver na dívida portuguesa um bom negócio. Daí que o presidente do IGCP tenha, esta semana, tentado exercer alguma pressão sobre as agências de rating.

Os juros da dívida pública fixaram novos mínimos na quinta-feira, e a inflação baixa prevista pelo BCE ajuda a reduzir a taxa absoluta.