A Agência Ambiental norte-americana denunciou, esta segunda-feira, que a Volkswagen instalou dispositivos de manipulação de emissões poluentes em automóveis com motores 3.0, incluindo o Touareg 2014, Porsche Cayenne 2015 e Audi A6 Quattro 2016, noticia a Bloomberg. A entidade adianta que este "kit" fraudulento foi também incorporado nos modelos automóveis A7 Quattro, A8, A8L e Q5, de 2016.

A instalação deste dispositivo tecnológico permitiu que estes veículos passassem nos testes poluentes, embora as emissões fossem nove vezes superiores ao permitido por lei. O fabricante automóvel alemão terá instalado o dispositivo fraudulento para enganar os testes em modelos entre 2014 e 2016.

A Agência de Proteção Ambiental (EPA, na sigla inglesa) disse que esta nova notícia de fraude, a segunda atribuída à Volkswagen este ano, envolve cerca de 10 mil veículos a gasóleo já vendidos nos Estados Unidos, bem como um número desconhecido de automóveis de 2016 (encomendas que serão entregues no próximo ano).

O "kit" fraudulento, explicou, tem um temporizador que é ligado assim que deteta que o veículo está a ser testado na sua emissão de poluentes, o que leva a que o automóvel emita um valor muito abaixo do real, adianta a EPA.

Em setembro, a EPA afirmou que a Volkswagen (VW) tinha vendido 482 mil veículos a gasóleo nos Estados Unidos incorporados com o dispositivo fraudulento.

A Volkswagen deverá ser alvo de várias ações cíveis da parte da EPA, bem como de acusações criminais do Departamento de Justiça norte-americano, além de eventuais multas em países onde os seus automóveis são vendidos.

"A VW mais uma vez falhou na sua obrigação de cumprir a lei que protege a qualidade do ar para todos os americanos", afirmou Cynthia Giles, responsável da EPA, citada pela Bloomberg.

A 18 de setembro foram conhecidos publicamente os resultados de testes a emissões poluentes de viaturas equipadas com motores ‘diesel’ do grupo Volkswagen, relativamente às marcas Volkswagen, Audi, Seat e Sköda, concluindo-se pela existência de viaturas equipadas com um dispositivo que permite a manipulação de informação relativa a emissões poluentes.

O grupo alemão admitiu a existência de 11 milhões de carros nestas circunstâncias, e em Portugal, de acordo com informação divulgada pela SIVA, representante das marcas Volkswagen, Audi e Sköda, estima-se que existam cerca de 94 mil viaturas afetadas, mais 23 mil da marca Seat, totalizando 117 mil veículos.
 

Volkswagen nega manipulação dos motores V6 de 3000cc


O grupo automóvel alemão Volkswagen já veio negar a existência de um programa informático para falsear os resultados dos testes antipoluição nos motores diesel V6 (seis cilindros) de 3000 centímetros cúbicos, refutando acusações da Agência Ambiental norte-americana.

“A Volkswagen sublinha que não foi instalado qualquer programa, nos blocos com motores diesel de três litros V6, para modificar de forma inapropriada” os testes antipoluição, refere em comunicado o grupo alemão.